APROVAÇÃO CERTA 8ª Edição – As melhores dicas para garantir o seu sucesso

Olá, pessoal!

Pensando em seu sucesso, o Pensi traz mais algumas dicas de ouro dos nossos professores. Confira:

Geografia – Beatriz Velloso

Por que podemos dizer que em alguns casos o PIB per capita pode crescer, enquanto a riqueza per capita diminui?

Podemos compreender o Produto Interno Bruto (PIB) como sendo o somatório de todos os bens produzidos em determinada região durante um período, como por exemplo um mês ou um ano. Assim, o PIB serve de auxílio para o melhor entendimento do nível de riqueza de certa divisão territorial, podendo ele ser elevado ou não.

Um erro muito comum é achar que riqueza econômica é sinônimo de riqueza per capita (por pessoa). Devemos tomar cuidado com essa linha de raciocínio, pois ela não reflete, de fato, a realidade devido à desigualdade social. Apesar de uma economia trabalhar para a prosperidade de todos, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no Brasil, em 2013, 10% da população mais rica concentrava cerca de 42% de toda a renda no país.

Um indicador que melhor reflete a situação econômica de determinada população chama-se Coeficiente de Gini, pois possibilita apontar a diferença entre os rendimentos dos mais pobres e dos mais ricos.

Português – Mafê

Atenção aos verbos que alteram a regência e mudam o sentido. É o caso do verbo aspirar:

1)      Como transitivo direto é sinônimo de inspirar, cheirar.

Ex: A criança aspira a poeira.

2)      Como transitivo indireto é sinônimo de desejar, querer.

Ex: O aluno aspira à vaga.

História – Renato Cunha

Esse ano estamos completando 80 anos do início do Estado Novo (1937-1945) na Era Vargas. Esse período ficou marcado principalmente pelo: autoritarismo de Vargas; a criação da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), assunto extremamente atual devido ao projeto de Reforma Trabalhista do atual governo que acaba com vários pontos da legislação Varguista; e a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial ao lado dos Aliados.

Sociologia – Elaina Siero

ESCOLA DE FRANKFURT – Teoria Crítica:

Considerada uma vertente radical do marxismo, aprofundou-se no estudo da industrialização, combatendo uma visão fragmentada da sociedade, assim como uma sociologia superficial e quantitativa.

Na França, a Teoria Crítica conquistou vários adeptos. Baudrillard foi um crítico da sociedade voltada para o consumo e para uma realidade proposta pelos meios de comunicação de massa e pela publicidade. Buscou integrar a semiótica aos princípios da teoria econômica marxista, mostrando que a circulação de bens se relaciona com um correspondente sistema de trocas simbólicas.